Livros e Artigos

[disponibilizo livros e artigos para download em Academia.edu e Scribd]

Páginas

quinta-feira, 24 de março de 2011

Ainda sobre a Irregularidade dos Atos dos Poderes Punitivos

Assisti ontem de noite esta reportagem do Jornal da Globo. Acabo de receber o link pelo Gustavo Ávila.
Creio ser o conteúdo auto-explicativo, sobretudo pelo debate que foi travado no Antiblog nos último dias. Pode ser entendido, inclusive, como uma reposta aos comentários 'generosos' e 'crentes' na regularidade dos atos dos poderes.

10 comentários:

Pandolfo disse...

Salo, coincidentemente acabo de te mandar um email divulgando isso.
Não me parece, entretanto, que esse ato possa ser chamado de "irregular". Através da leitura proporcionada por Walter Benjamin sobre o direito e a violência, por exemplo, este ato é significativamente regular, a regra mesma, cabal, de todas as legitimações do Estado de Direito.

Anônimo disse...

Pan... Então reforça o falacioso discurso do Estado Democrático de Direito. Pois a partir que o direito é visto como conquista democrática ele impôs restrições sobre a liberdade humana a partir da legitimação da "segurança assegurada coletivamente" (Bauman, p.74). Pelo que tenho de leitura, ultimamente, a Democracia só seria legitima a partir da liberdade de manifestação do povo contra a opressão (seja policial,política). O erro é que condicionamos segurança coletiva como política pública, quando deveríamos ver a política pública como força da autonomia humana e da democracia.
Para eu fazer uma afirmação mais consistente precisaria mais que esse simples quadrado,mas espero que a discussão possa se auto afirmar.

Guigo

Anônimo disse...

Ha... vou ler ainda Benjamin. Assim que conseguir separar as leituras pendentes.

Guigo

Anônimo disse...

Parecendo mais uma patota de selvageria do que um campeonato de rimas pobres, dia desses, pude assistir a um pelotão fazendo um 'cooper' pelas ruas.

A plenos pulmões, enquanto corriam, metade da tropa berrava o seguinte:

"Homens de preto, o que é que você faz?"

E a outra metade do pelotão respondia:

"Eu faço coisas que assusta o Satanás!"

Como se precisasse explicar mais alguma coisa...

Abração

Luiz Alberto

SC disse...

concordo com a tese.
mas utilizo a categoria nominada pelo ferrajoli. e acho interessante pq dá a dimensão da falácia do discurso em relação ás práticas e de como cremos em mitos.

Marcos disse...

Imagens tristes que retratam uma realidade...
O problema é que existe um abismo entre o que a grande maioria das pessoas considera certo, justo, direito, e a realidade do nosso sistema legal, do comportamemto das autoridades e das nossas instituições.
Graças a isso surgem os justiceiros...
Se houvesse uma resposta firme, proporcional, rápida (respeitando a humanidade de todas as pessoas) do judiciário e do sistema penal essas atitudes dos policiais seriam raras.

Marcos disse...

O "estado policialesco" - vide imagens - surge quando as instituições democráticas perdem a credibilidade e não quando as normas são duras!

Moysés Neto disse...

É a própria vida nua,

gabrieldivan disse...

Inaceitavel(s) nosso(s) de cada dia. Cada vez mais repleto de aceitabilidade...

"...o garoto esta desarmado, e nao tem para onde fugir..."

Anônimo disse...

Ok, um abuso, sem duvida...
Porém, ninguem falou que o "menininho"... já era acusado de alguns assassinatos e era um dos "grandões" do tráfico das redondesas, isso com 14 anos... Certo que foi excesso, mas as teorias são lindas e o mundo é cor-de-rosa, continuamos sentados atrás de pilhas de livros, criticando e não fazendo nada!