Livros e Artigos

[disponibilizo livros e artigos para download em Academia.edu e Scribd]

Páginas

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Os Justiceiros que não respeitam as Leis

Quem acompanha o Antiblog e a minha página pessoal no Facebook viu a repercussão (altamente negativa) da nova campanha de mídia dos cursos de Especialização da Fundação do Ministério Público do Rio Grande do Sul.
Na ocasião em que publiquei o post, preferi o silêncio e não expressei minhas conclusões sobre este tipo de publicidade e o que representa em termos de consolidação de uma cultura policialesca e maniqueísta - creio, inclusive, que sequer preciso expor meus argumentos, porque as imagens falam por si mesmas.
Todavia, creio que algo merece ser destacado. Depois de prestar bastante atenção no vídeo, meu colega Marcelo Araújo chamou atenção para um "pequeno" ato falho que diz tudo sobre o conteúdo da propaganda.
É que aqueles que "fazem Justiça todos os dias, inclusive nas ruas", escancaradamente desrespeitam as Leis. Aos 10s do vídeo, no canto esquerdo da tela, é possível ver que, para rodar o roteiro, os Justiceiros estacionaram em local proibido.
Infelizmente esta é uma terrível lógica interna ao inquisitório: desrespeitar as regras do jogo em nome de sua proteção - algo como "os fins justificam os meios".
Abaixo o vídeo e o destaque da cena.

 

4 comentários:

Costa Franco Valduga advocacia especializada disse...

Salo, em local proibido e na contramão!! Há muitos e muitos anos fui estagiária da Procuradoria de Justiça, no prédio preto e amarelo bem ao lado do TJ. Foi uma época de muito aprendizado. Também foi quando decidi ser advogada! Lembro bem que era rigorosamente proibido parar e estacionar por ali. No entanto, aos justiceiros é permitida essa "pequena" infração... Interessante!

Marcelo Mayora disse...

Apesar dos bons ares da Barra da Lagoa, sinto saudades do tempo em que morava nos altos da Duque. Frequentava a Matriz e nunca vi esses senhores por ali. Aliás, certa ocasião ouvi de uma assessora do MP que a praça da Matriz era muito perigosa, praticamente uma "mini cracolândia".

Carlos Augusto Silva disse...

Meu caro Salo, o vídeo é realmente lamentável. Contudo, gostaria de discordar da observação do Marcelo Araújo. No vídeo, o locutor afirma que "... até nas ruas todos os conhecem por serem os melhores no que fazem". Assim, o "até nas ruas" não se refere a fazer justiça. Abraços.

Bunito disse...

Petição por uma lei que exija o pagamento de dinheiro roubado por políticos acima da correção monetária.

http://www.avaaz.org/po/petition/Lei_que_obriga_que_politicos_paguem_qualquer_dinheiro_roubado_reajustado_acima_do_que_conseguiram/